Postagens

Mostrando postagens com o rótulo serviços públicos

O "escândalo das vassouras"

Pela segunda vez nesta semana, o presidente da Câmara Municipal de Juazeiro do Norte, no Ceará, Antônio de Lunga, não compareceu à sessão. Ele e o tesoureiro Ronnas Mottos estão envolvidos em um escândalo de compra milionária de materiais de limpeza. 
É lógico que a Prefeitura, a Câmara e os demais prédios públicos necessitam de limpeza, mas o dinheiro obtido com os impostos pagos pelo povo não deve ser gasto apenas com isso. Eu até imagino como estão funcionando os serviços públicos em Juazeiro; com certeza foram afetados por esses gastos desnecessários.

Sonegador na cadeia

Wagner Canhedo, ex-dono da extinta companhia aérea VASP, foi preso na manhã de hoje em Brasília acusado de sonegação (não pagamento) de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) a pedido da Justiça de Santa Catarina. Wagner alega que não reconhecia a dívida e não foi notificado do mandado.
Que estranho! O que Wagner andou fazendo em Santa Catarina? Isso tem que ser averiguado.
Sabemos que os impostos são absurdamente altos no nosso país, mas fazer o quê? Temos que pagá-los. É esse dinheiro que ajuda a manter os serviços públicos. Se quisermos pagar menos impostos, temos que sair ás ruas para protestar.

Obras inacabadas

Funcionários de uma empresa terceirizada contratada pela DESO (Companhia de Saneamento de Sergipe) deixaram inacabadas as obras de saneamento na zona de expansão de Aracaju. Muitas ruas ficaram esburacadas.
Isso é vergonhoso para a população, que paga impostos para que os serviços públicos funcionem bem. A DESO deveria verificar o que está acontecendo. Será que os trabalhadores não estão fazendo o serviço direito? Ou isso é obra da empresa, que não é de confiança e só quer ganhar dinheiro?

Redução do pedágio

As tarifas do pedágio da Terceira Ponte, que liga Vitória a Vila Velha, no Espírito Santo, foram reduzidas. Para os motoristas a queda foi de R$ 1, 90 para R$ 0, 80 e, para os motociclistas, de R$ 0, 95 para R$ 0, 40.
Pois é! Depois de tantos protestos a população finalmente foi ouvida. Ninguém merece pagar imposto alto. Os impostos são úteis para o bom funcionamento dos serviços públicos, mas não devem ser cobrados de forma abusiva.