Postagens

Mostrando postagens com o rótulo serviços

Novos equipamentos

O Corpo de Bombeiros de Guajará-Mirim, em Rondônia, recebeu uma viatura para ocorrências de salvamentos. Um veículo de combate a incêndios florestais será entregue até o fim do ano.
O governo tem que substituir de tempos em tempos os equipamentos usados nos serviços de saúde e segurança pública. Equipamentos velhos podem prejudicar o atendimento à população. Além disso, com o passar dos anos, os fabricantes lançam aparelhos mais modernos, que contribuem para a melhoria da qualidade dos serviços a que são destinados.

Sem serviços de limpeza, por enquanto

Não há nenhuma empresa disponível para fazer a limpeza dos postos de saúde de Campo Grande, aqui no Mato Grosso do Sul. Uma licitação para escolher a nova empresa foi suspensa e o contrato emergencial com a Mega Serv, que até então realizava a limpeza, venceu. O vereador Elizeu Dionísio denunciou no Ministério Público possíveis irregularidades na licitação.
Alguma coisa tem que ser feita para "resolver" temporariamente essa situação. Por exemplo, o contrato da Prefeitura com a Mega Serv deveria ser prorrogado enquanto o problema não for definitivamente solucionado. Se a sujeira começar a se acumular nos postos, a saúde dos funcionários e da população estará em risco. O meio ambiente também será prejudicado se os funcionários começarem a descartar o lixo irregularmente.

Punição por causa do atraso de obras

Em Campo Grande, aqui no Mato Grosso do Sul, a construtora Homex do Brasil perdeu uma obra de construção de um condomínio de casas por causa do atraso na entrega dos imóveis. A Caixa Econômica Federal acionou um seguro para a conclusão da construção.
Isso mesmo! Bem feito! Isso é para que as empresas de todos os setores aprendam a respeitar os clientes. Ninguém merece investir horrores em produtos ou serviços e depois não recebê-los. A verdade é que algumas empresas só pensam em ganhar dinheiro e não estão nem aí para os consumidores. Devemos ter cuidado ao adquirir produtos ou serviços. Seria bom se todo mundo que tem internet em casa fizesse pesquisas para ver se as empresas são constantemente alvos de processos na Justiça ou reclamações de clientes, por exemplo.

Cortando gastos na saúde. Onde já se viu?

Em Campo Grande, aqui no Mato Grosso do Sul, o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) é acusado de negar, ao ser acionado, a segunda via de atendimento à família de um paciente que morreu por causas naturais. O médico responsável disse estar seguindo ordens da Prefeitura para conter gastos economizando papel. O coordenador do SAMU, Luís Antônio da Costa, admitiu neste sábado que isso realmente está acontecendo.
Há casos em que é preciso conter gastos. Só que não se deve economizar em serviços essenciais, como saúde, educação etc. As prefeituras devem cortar gastos com coisas desnecessárias, como o cafezinho dos funcionários (afinal, todo mundo tem café em casa!).

Bom momento, apesar das filas

Os armazéns de Dourados, aqui no Mato Grosso do Sul, estão com filas de caminhões que esperam para descarregar milho. Isso acontece em toda safra, mas desta vez a situação ficou mais complicada. Por causa de fatores climáticos, os grãos ficaram úmidos e necessitam de um tempo para secar. Isso está deixando a colheita mais lenta.
Coitado dos caminhoneiros! Eles têm que esperar durante horas e até dias para poder descarregar e ficam longe da família.
Só que os agricultores não estão tendo prejuízo, pois a colheita do milho está tendo um bom desempenho neste ano. Isso não beneficia só os produtores; os demais setores da economia, como comércio em geral e serviços, também lucram.