Postagens

Mostrando postagens com o rótulo natureza

Pontos da Europa onde o impetuoso frio mostrou sua plena valentia

A vitalidade da economia e a justiça social de países desenvolvidos têm por característica absoluta apenas sua superioridade em relação às de nações ao tipo do Brasil e outras em situação pior. O primeiro perfil corresponde à média da comunidade europeia, tendo atestada a natural impossibilidade de alcançar e manter uma inteireza face a divergências nos interesses de seus operadores. Em meio aos escombros de um hotel italiano posto a baixo por uma avalanche de neve subsequente a um terremoto e, em diversos locais, sob fracamente estruturadas condições de abrigo por conta de incapacidade socioeconômica para fazê-las evoluírem, pessoas, muitas das quais não resistiram e no segundo caso até animais foram ou vêm sendo fustigados pelo rígido inverno. Para alguns jovens do Reino Unido, por sua vez, ficaram literais marcas, físicas, do intenso frio a despeito de com certeza disporem de meios atenuadores das provações climáticas porque valeram-se delas em troca de meteórica fama no conjunto d…

Águas sul-matogrossenses que não estavam para peixes humanos

Neste primeiro trimestre de 2016 ocorrências envolvendo idênticos litígios espaciais entre a natureza e sua notória prole, os humanos, murcharam cada uma seu impacto na opinião público, provocando reações em vez disso unificadas. As ocasionais cheias fazem parte dos modos como os rios esculpem o viver dos ocupantes das cidades e áreas rurais a suas margens. O tecido das determinações é a cobrança natural para os grupos antrópicos de justuras em seus hábitos e bens ou no regime das águas (quando elas permitem), no que os casos apontariam indisciplina das comunidades ligadas aos cursos d'água e todo o resto do mundo, cujas atitudes podem estar imprimindo marcas nos escoadouros hídricos apesar de esse maior conjunto majoritariamente não usufruir deles. No norte, oeste {1} e sul do estado {2}{3} (de onde a fusão entre leitos de rios e a terra firme se expandiu a lugares no Paraguai {4} vizinhos à sul-matogrossense Bela Vista {5}, ambos que partilhavam o volume excedente do Apa) o bar…

Animal silvestre abatido

Em Costa Rica, aqui no Mato Grosso do Sul, um fazendeiro foi preso pela Polícia Militar Ambiental (PMA) por abater e enterrar uma onça-parda. Na casa dele haviam duas espingardas.
A atitude desse selvagem causou uma tragédia para o meio ambiente. Não sei se esse é o caso, mas muitos proprietários rurais fazem isso para evitar que as onças comam os animais que eles criam (bois, vacas, porcos, galinhas etc). Quem se sente incomodado com a presença de animais silvestres tem é que se mudar para outro lugar em vez de tentar contra a vida deles, que não têm culpa de nada. A culpa é do ser humano, que começou a invadir e destruir a natureza e continua fazendo isso hoje.

Catástrofe

Segundo o governo do Japão, 300 toneladas de água radioativa vazam por dia na usina nuclear de Fukushima. Essa água está indo para o mar.
É preciso que se faça alguma coisa para resolver esse problema! Isso não compromete a natureza de imediato, mas as consequências só são percebidas depois de muitos anos.
As usinas nucleares deveriam ser proibidas. É muito fácil dizer isso; fazer é que é difícil. Muitos países não têm condições de produzir energia de outras formas: em muitos lugares, por exemplo, não há ventos fortes para produzir energia eólica ou rios adequeados para a implantação de usinas hidrelétricas.

Animal causa acidente

No último dia 2 um carro capotou na rodovia MS-382, em Bonito, cidade turística daqui de Mato Grosso do Sul, depois que a motorista teria desviado de um tamanduá. Uma passage8ra morreu.
Os motoristas deveriam ser mais prudentes. Porém, tenho certeza de que o próprio ser humano é culpado por esses acidentes. Os animais estavam tranquilos na natureza. Aí veio o homem e acabou com tudo para fazer plantações, construir cidades, estradas etc. Como consequência, os bichos acabam invadindo nosso espaço.

Mais saneamento

Itaporã, cidade onde eu moro aqui no Mato Grosso do Sul, será contemplada com R$ 5,5 milhões para obras de aumento da rede coletora de esgoto.
Rede de esgoto é sinônimo de saúde e preservação da natureza. Só espero que o esgoto coletado seja adequadamente tratado. Não adianta recolher a sujeira e jogar em qualquer lugar.