Postagens

Mostrando postagens com o rótulo Tocantins

Na cobrança de favores muito vale a visibilidade dos subordinados

Quando um país cuja existência quase não é lembrada no mundo, mesmo em países com alto desenvolvimento nas tecnologias de informação, comunica em períodos recentes estar procedendo com vista a criar um órgão governamental destinado a averiguar desaparecimentos de pessoas, nos emerge à cabeça choque defronte à velocidade quelônia de adoção desta ferramenta envolta em prognósticos de progressões sociais, visto que o Brasil já tem um sistema de dados sobre indivíduos nesta situação. Este perfil no momento presente emoldura o Sri Lanka, embora só tenha sabido do fato quem navegou recentemente por sites midiáticos daquela terra ao sul asiático e com o atraso ela tenha chance de de manter com inteligência seu projeto desde quando o mesmo ganhar alicerces, saindo à frente do Brasil por exemplo, do qual um site criado há anos com vintém público virou um elefante branco.

Por ano cerca de 250 mil pessoas são perdidas de vista inexplicavelmente (no instante do sumiço, sendo comum a manutenção da…

Tirando do próprio bolso

Carlos Amastha, prefeito de Palmas, em Tocantins, doou, durante uma reunião realizada hoje, o seu salário para uma associação de idosos do estado.
Muito linda a atitude desse prefeito. Em vez de deixar o poder lhe subir à cabeça, ele fes esse brilhante gesto de solidariedade. Esses locais de atendimento a idosos são muito importantes. Todos nós vamos envelhecer e precisar deles.
Seria bom se todos os políticos seguissem o exemplo de Amastha doando pelo menos uma parte de seus salários para instituições de caridade que atendem idosos, deficientes etc.

Casa partida ao meio

Há seis meses, uma idosa  da cidade de Araguaína, em Tocantins, percebeu, ao voltar de uma viagem, que sua casa havia sido parcialmente destruída por um vizinho que alegava que o terreno era dele. Na última quarta foi decidido em uma conciliação feita pela Defensoria Pública que ele terá o prazo de 10 dias para iniciar os reparos.
Ainda bem que a Defensoria Pública faz essas conciliações. Se isso não acontecesse, essas disputas na Justiça demorariam muito para ser resolvidas (isso quando chegam a ser resolvidas!). Briga de vizinhos é coisa séria; muitos desentendimentos desse tipo podem acabar em assassinato.